Imprimir

Câmara Municipal de Santos Dumont promove audiência sobre 10 anos dos Institutos Federais

 
 
A noite desta terça-feira (28) foi especial para estudantes, professores, servidores técnico-administrativos, familiares e todos aqueles para quem o Campus Santos Dumont do Instituto Federal do Sudeste de Minas Gerais representa um caminho para transformação de vida. A Câmara Municipal de Santos Dumont recebeu a “Audiência Pública: 10 anos dos Institutos Federais”, uma ação para celebrar a primeira década destas instituições que emancipam jovens e adultos de todas as 27 unidades da federação do Brasil.
 
Com a presença de um grande público no plenário da Câmara, a solenidade foi presidida pelo vereador Dorival Marcos de Oliveira e contou, em sua mesa de honra, com o também vereador Conrado Luciano Baptista – autor do requerimento para a realização da audiência –, o vice-prefeito Gérson Guedes e o chefe de gabinete da Prefeitura, Paulo Mendes Barreto. Conrado e Gérson fizeram uma defesa enfática da Educação Pública, das instituições federais de ensino e, mais especificamente, do Campus Santos Dumont.
 
Também compuseram a mesa cinco membros do IF Sudeste MG, entre gestores, representantes dos servidores e da categoria discente. O reitor do IF, professor Charles Okama de Souza, destacou a história centenária da Educação Federal, a capacidade de resistência dessas escolas e o combate à desigualdade socioeconômica que elas exercem, salientando que a existência do Campus Santos Dumont é uma grande conquista para a comunidade.
 
O diretor-geral do Campus Santos Dumont, professor André Diniz, ilustrou a expansão da instituição – hoje ofertante de cursos técnicos, técnicos integrados, de graduação e de pós-graduação – com casos concretos, como os de estudantes que já fizeram o movimento de verticalização: após concluírem um curso técnico, seguiram para a graduação no mesmo campus.
 
Em seguida, a representante dos servidores, a técnico-administrativa Mariana Rodrigues, falou sobre a felicidade em trabalhar no lugar onde estudou – ela foi aluna do curso técnico em Transporte de Cargas – e o orgulho pela existência de uma escola federal em sua cidade. Mariana, que diariamente atua no atendimento ao público, também relatou a felicidade por perceber a trajetória ascendente de outros estudantes da instituição. “Às vezes, eles chegam ao IF com muitas dúvidas. É uma satisfação ver o caminho que percorrem e quando voltam (à Secretaria) para retirar o diploma”, comentou a servidora, também estudante de Engenharia de Produção.
 
Ex-aluna do curso técnico em Transporte Ferroviário (atualmente Manutenção de Sistemas Metroferroviários), Maria Regina Novais já trabalha no setor há sete anos. Formada em Administração e pós-graduanda, ela identifica o IF como um fator fundamental para sua trajetória – não apenas como profissional do setor ferroviário, mas também no âmbito acadêmico. "O jovem hoje precisa disso: alguém que confie nele, que o direcione", constatou.
 
A audiência foi concluída com a fala do diretor de Ensino, Benedito Carvalho. O técnico em Assuntos Educacionais afirmou que os alunos são o motivo de a escola existir e, no mesmo raciocínio, manifestou sua admiração pelas mães que se sacrificam para que seus filhos tenham acesso à Educação. Benedito agradeceu aos profissionais que vêm de outras cidades para o IF e contribuem para o progresso de Santos Dumont. O diretor de Ensino ainda deixou clara a importância de políticas públicas de educação.
 
O IF Sudeste MG celebrou sua primeira década em dezembro do ano passado. O Campus Santos Dumont completará dez anos em fevereiro de 2020, mas é o legítimo herdeiro de uma tradição muito mais longeva no município: em 23 de maio, a inauguração da Escola Profissional, que funcionava no mesmo espaço onde está situado o IF, completou 78 anos.